Etiópia ou Abissínia?

Vou confessar-vos uma coisa: este blogue está a dar-me muito mais prazer do que eu pensava, quando o iniciei. O número de visitantes cresce de semana para semana, e muitos deles têm a gentileza de me escrever, fazendo comentários ou perguntas, e até corrigindo coisas em que eu errei, por falta de informação ou por informação errada. Assim, além de aprender sempre mais qualquer coisa, também fico a conhecer muitas pessoas interessantes que, de outro modo, não conheceria.

Obrigado a todos.

Infelizmente o meu tempo é escasso, para escrever com a regularidade que eu gostaria de manter. Em parte, isso sucede por causa do meu trabalho. Mas também é devido ao meu feitio de querer fazer muitas coisas ao mesmo tempo. Uma má desculpa.

Fiz hoje, uma vez mais, uma revisão aos meus objetivos e prioridades. Uma das decisões foi começar a deitar fora apontamentos e recortes, que guardei ao longo dos anos, para um dia escrever e cheguei à conclusão de que mesmo que eu viva até aos 120 anos, que é o máximo permitido e pouco provável, só me restam, a contar do próximo dia 5 de Outubro, 44 anos para realizar uma pequena parte do que tinha planeado

E puxei para cima da lista um compromisso de escrever todas as semanas uma ou mais histórias, das que tinha colecionado, mesmo que seja pequenina

Esta semana está na baila, aqui em Israel, o problema de integração dos judeus da Etiópia. Muitos deles têm chegado, por esforço próprio, a profissões e postos elevados. Mas muitos mais têm ainda muita dificuldade em se integrar. E por estes dias sente-se isso mais, quando se aproxima a reabertura das aulas.

Lembro-me que, quando eu era novo, o meu amigo Salomão Shmulevitz, que começou a sua carreira de jornalista no Diário de Notícias, escreveu um livro com o título de «O que é a Abissínia?».

O Salomão Shmulevitz veio muito novo para a Terra de Israel, “hebraisou” o nome para Shelomó Shamgar, e tornou-se um dos mais brilhantes jornalistas deste país. Infelizmente uma doença má levou há cerca de 12 anos.

Foi o Shelomó Shamgar quem fundou a Liga de Amizade Israel-Portugal e foi seu presidente até aos seus últimos dias. E fui eu que tive que ocupar esse honroso cargo,  durante 11 anos, por meus pecados, porque nunca lhe cheguei aos calcanhares.

Mas estávamos a conversar sobre a Abissínia, que hoje se chama Etiópia.

Ponhamos os pontos nos ii!

No tempo em que eu estudei chamava-se Abissínia a um país muito mais pequeno, situado, mais ao menos, no norte do que é hoje a Etiópia.

Os seus habitantes eram semitas e semita é a língua amharica, que eles ainda hoje falam. Nas línguas semíticas, no árabe e no hebraico, o país chamava-se Habash, E de Habash nos chegou Abissínia. Era a Terra do Preste João, o lendário padre cristão, que os exploradores portugueses tanto se esforçaram por encontrar na Abissínia.

Mais tarde o reino da Abissínia foi muito alargado, juntando-se-lhe outros povos negros seus vizinhos. E então passou a chamar-se Etiópia.  Aithiôps, “terra da gente de cara queimada” era o nome que os gregos davam a diversos terras africanas, desde o Vale do Nilo, até ao Corno de África.

No Novo Testamento, que foi escrito na sua maior parte em grego, a palavra aparece a designar de uma forma geral, diversos povos africanos. A palavra estava ali, à mão de semear, e assim foi dada ao novo país, que incluía a antiga Abissínia.

E já agora, como curiosidade, a explicação de alguns termos, de que todos ouvimos falar.

Como vimos, a língua da Abissínia é semítica.

Como se chama a capital da Etiópia? Adis Abeba. Adis significa nova. Conhecemo-la, por exemplo, no nome de Cartago, na língua fenícia: Kart-Hadasht, a «Nova Cidade”, que os fenícios fundaram no Norte de África.

Abeba – é o mesmo que Aviv, em hebraico, que significa tanto espiga, como primavera, a época do ano em que se ceifam as espigas. Tel Aviv – significa “Colina da Primavera”. A cidade de Telavive (assim se escreve em português correto) não fica numa colina, mas isso é outra história, que ficará talvez para outro dia.

Temos pois que Adis Abeba – é a Nova Primavera.

Lembram-se do imperador deposto – Hailé Selassieh? Pois Selassie (em hebraico chelishiah) significa Trindade. E Hailé é santo. Portanto, o nome do imperador era Santíssima Trindade.

Mengistu Haile Mariam, que foi presidente da República Democrática Popular da Etiópia, também tem Hailé (santo) no seu nome. E Mariam era, como sabemos, o nome aramaico da Virgem Maria (Miriam em hebraico). Portanto o presidente comunista da Etiópia era Mengistu de Santa Maria.

Desejo a todos uma excelente semana.

50 Responses to “Etiópia ou Abissínia?”


  1. 1 joao moreira 1 Setembro 2009 às 5:35 pm

    Caríssimo,

    Estou sempre atento às suas publicações que me entusiasmam. Sou de uma terra que acolheu muitos refugiados do conflito que assolou o Mundo, dos que hoje se reunem em Gdansk e de outras “nações”.

    Leitor assíduo.

  2. 2 maria trigoso 13 Setembro 2009 às 5:13 pm

    muito contente por ter encontrado este blog. hei-de voltar. obrigada por ele

  3. 3 Arthur Cortês (Brasil) 17 Setembro 2009 às 4:58 pm

    Parabéns por mais uma história de vidas e de palavras.
    Grato pela oportunidade em poder acompanhar tamanho conhecimento.

  4. 4 Faris 1 Outubro 2009 às 9:02 pm

    Muito legal, comecei a ler e não consegui parar, muito obrigado.

  5. 5 al cardoso 4 Outubro 2009 às 8:14 pm

    Gostei de saber mais sobre a Abissinia!

    Que este novo ano que comecou a pouco seja repleto so de coisas boas!

    Um abraco dalgodrense.

  6. 6 Nuno Matos 14 Outubro 2009 às 9:03 pm

    Etiópia… Abissínia… Preste João…Uma parte da História de Portugal encontra-se ligada a estes nomes, quase diria, a estes sonhos. Por isso, valem a pena «Os Portugueses na Etiópia», de Eaine Sanceau e a «História dos Portugueses na Etiópia» de Pedro Mota Curto. Terá essa presença contribuído para impedir a islamização do país? Pedro Mota Curto talvez o tenha pensado. Mas eu, sobre isso, nada sei dizer.

  7. 7 Zé António 23 Outubro 2009 às 4:27 pm

    A origem das palavras é um tema fascinante.
    E ler os seus posts é um prazer, pena é que não consiga publicar com mais regularidade.

    Li recentemente que a famigerada palavra “marrano”, se calhar, não tem a origem nem o significado que é comum atribuir-lhe. Uma das teses é que é de origem hebraica e significa dissimulação. Pode dizer-nos alguma sobre isso?

    Obrigado

  8. 8 Schetini 3 Novembro 2009 às 4:11 am

    Caro Steinhardt,

    O seu blog está entre os poucos (dos milhares ao quadrado existentes) de inteligência e seriedade; e, mesmo acima disso, de um carisma surpreendente.

    Eu gosto de vir, porque cá me sinto bem.

    Um abraço,
    Schetini

  9. 9 jugioli 22 Novembro 2009 às 7:41 pm

    Adorei vir aqui e conhecer quem gosta das palavras.

    bjs.

  10. 10 Isabella Roesch 17 Janeiro 2010 às 4:20 pm

    Gostei muito de visitar sseu blog
    Fiquei muito curiosa da historia de Abissina gostaria de saber mais sobre esse pais . Isabella

  11. 11 isabelly 8 Fevereiro 2010 às 8:58 pm

    eu axo isso muito importante porque encina a gente a como retribuir a PASCOA

  12. 12 Marilena 11 Fevereiro 2010 às 5:17 am

    Bom dia desde o Brasil, Belém do Pará-Amazônia.

    Muito “bacana” as informações sobre Abissinia, atualmente Etiópia. T8 hás de te perguntar, talvez, por que alguém buscaria informações sobre essa cidade que, atualmente, creio, pouqíssimas pessoas tenham ouvido falar. Minha curiosidade existe há mutíssimo tempo, quando estava começando meus estudos e tínhamos que saber os nomes das capitais de vários países que talvez nem ouvíssemos falar em outras ocasiões e jamais cogitaríamos de conhecer.Tu escreves muitíssimo bem e de forma bem humorada. Muito obrigada pelas informações e, quem sabe, possa ser uma assídua frequentadora do teu blog.

    Um grande abraço

  13. 13 Umas palavras 18 Janeiro 2011 às 2:48 pm

    Palavras, sempre atrás de umas palavras…

  14. 14 Alesson 30 Junho 2011 às 2:39 am

    Será que esse cara morreu? Nunca postou mais nada….

  15. 16 Antonio Leite Martins 4 Julho 2011 às 3:07 am

    Gostei muito da historia das palavras, voltarei em busca de novidades.
    Obrigado, Antonio

  16. 17 Evanilde Moura 15 Agosto 2011 às 2:35 am

    Me esclaresceu uma duvida q carregava ha mais ou nos uns 35 anos, alguém pra me humilhar de chamava de nega da piscina, era uma pessoa adulta, na época deveria ter uns 12 anos, não entendia o porque Piscina, a criatura também não devia saber pois a cultura da mesma é menor q o átomo, seria tão mais fácil de chamar negra de Baraúna – Rn q é minha terra natal, Abissínia ou Etiópia. Boa descoberta. Abraços a todos e obrigada.

  17. 18 Jonathas anacleto rosa 9 Setembro 2011 às 9:15 pm

    Olá meu itusre amigo, gostei mto de saber algumas coisas sobre este país..Etiopia….antiga Abissinia, pois tinha eu curiosidade em saber deste lugar que é de onde vieram meus antapassados como escravos, e com certesa ainda quero conhecer este país..de onde vem a minha decendencia.

  18. 19 Ernei José Stähelin 22 Janeiro 2012 às 9:12 pm

    São Pedro de Alcântara em Santa Catarina, Brasil, município que é conhecido como a primeira colônia alemã do estado catarinense. Enquanto Distrito de São José possuia em seu espaço territorial uma comunidade habitada, até onde me lembro exclusivamente por Afro-descendentes , nossos amigos de infância. Acredito que autodenominada, ou seja, oriunda dela própria por estar ainda na memória de algum remanescente a sua origem do norte da África ,ABISSÍNIA. Nossos vizinhos, que não residem mais na Abissínia, daqui partiram para ajudar na construcão de outras cidades,dentre eles me lembro dos famiares de Sr Otacílio e Sra Leocádia (Arnaldo, Zenáide,Kiko, Maurino, Gorete,…); Sr Enzido..? e Sra Maria ( Jair, Pelé,… ) Sra Losa, Buti, Bumba, Calo, Libertina, Dico. Hoje nos resta a lembrança e a denominação de um Bar que por sugestão de Ervino Stähelin, o Sr Euzébio Hoffmann o denominou de ABISSÍNIA. Um abraço fraterno a todos os nossos irmãos Afro-descendentes através dos nossos antigos moraradores da ABISSÍNIA de São Pedro de Alcântara-SC-BR.

  19. 20 Isabel Boavida 3 Fevereiro 2012 às 9:44 pm

    Permita-me algumas correções ao seu breve artigo despretencioso (que descobri hoje por acaso) mas que, aparentemente, foi lido como sendo muito bem informado.
    Começando pelo fim, que na verdade era mera curiosidade: a tradução do nome do ex ditador Mengistu Haile Mariam (Mangestu Hayla Maryam) deve ser «O Reino [é] Dele O Poder de Maria»; na verdade, a palavra gueeze que se traduz por Santo é Qeddus / Santa é Qeddest. Assim, o nome do último imperador traduz-se como «O Poder da Trindade». A capital atual da Etiópia é a «Nova Flor», flor traduzida do amárico, possivelmente por alargamento semântico.
    Quanto à questão central, importa introduzir alguns pontos importantes: sim, a raiz do nome Abíssinia é ao que tudo indica árabe, mas designava uma região litoral do Mar Vermelho e não o planalto onde se tinha afirmado o império de Aksum. Nas crónicas etíopes, para além do nome genérico «behera ge’ez» lê-se a identidade pedida emprestada à geografia grega «Itiyopya» associada à designação da entidade política «mangest(a)» (reino da Etiópia). Abíssinia foi entrando no léxico europeu, primeiro na forma gentílica «abexim», e generalizou-se sobretudo no período de desígnio colonial europeu.

    Isabel Boavida

  20. 23 Mariilio chrispim 23 Fevereiro 2012 às 4:37 am

    Posuo um disco e 78 rotações gravado no meio da segunda guerra mundial com o título é TI SALUTO O POVO DA ABISSINIA ,DISCO EST
    QUE FOI PROÍBIDO TOCA LO NA ITALIA.
    GOSTARIA MUITO DE SABER PORQUE..

    AGUARDO RESPOSTA.

  21. 24 maria Gomes 28 Maio 2012 às 4:58 pm

    infelizmente so hj encontrei este blog. Vou dissertar dia 30 maio 2012 sobre os etiopes negros – falaxas – e sobre os marranos de tras-os-montes: o que os aproxima e os q os afasta. Tive mt dificuldade em obter informações sobre os falaxas actualmente na Etiopia, como vivem, como professam a sua religiao face a Israel, etc. Alguem me pode dar dicas sobre estas questoes?
    Maria Gomes

  22. 25 maria Gomes 28 Maio 2012 às 4:58 pm

    Maria Gomes

  23. 26 Filomena Torgal 21 Junho 2012 às 12:19 am

    Estive nesse belo país em Outubro de 2011. Como é chegar ás Cataratas do Nilo Azul e ver uma ponte portuguesa do séc XVII em perfeita funcionalidade e agitação diária? Como é chegar a Lalibela e ver as belíssimas igrejas monolíticas em plena actividade e ebulição nos seus exorcismos e práticas religiosas? Como é chegar ao museu etnográfico e olhar a nossa Lucy nos seus Erectus milhões de anos? Como é chegar a Axum e desatinar com os obeliscos erigidos para nos mostrar que vale a pena resistir? Como é voltar de um turbilhão de emoções e olhar as Simien Montains e ficar ali, a olhar, a olhar, com olhos redondos como os ícones as emoções da Abissínia ? Deixo-lhe perguntas… Para imaginar… Para Sonhar.

  24. 27 João Matias 30 Agosto 2012 às 8:09 am

    Sou um apaixonado da Etiópia e do Sudão e graças a isso vim descobrir este blogue interessantissimo.Quero felicitar o Sr.Inácio Steinhardt pela sua
    escrita sucinta e clara e por estes aconchegos de história,que são uma delícia.Estive a 1ª vez em Israel e Síria em 1978.Jerusalém e Telavive são
    cidades da minha vida.Um abraço

  25. 29 João Matias 30 Agosto 2012 às 8:23 am

    Será que estou a fazer uma grande confusão ou quando estava no liceu
    se dizia Adis Adeba e não como agora Adis Abeba?!

  26. 31 Sivalney 1 Setembro 2012 às 5:17 pm

    Obrigado por suas sábias explicações,pois minha curosidade curiosidade foi satisfeita. SIVALNEY

  27. 33 Paulo 14 Fevereiro 2013 às 4:57 pm

    A palavra sisudo, seu significado é mesmo inteligente? Li em um comentário de Fausto, Goeth.

    • 34 Inácio Steinhardt 14 Fevereiro 2013 às 5:03 pm

      Penso que no. Sisudo o quem siso, o mesmo que juzo. Isto , um homem prudente.

      • 35 Adilson da Matta Andrade 23 Março 2013 às 2:40 pm

        No final da narração sobre Abissínia seu blog aparece uma janela pedindo para clicar para ganhar um iPad 2 da cor favorita, como meu medo de ganhar um vírus é maior que a vontade de ganhar um iPad eu não cliquei, mas resolvi avisa-lo pois pode trazer inconveniente para pessoas que tentarem seguir seu blog. Pelo sim pela não melhor não arriscar, mas adorei a ideia do blog, pois estou sempre atento à origem das palavras, mas se a estoria do iPad for verdadeira quero sim, de qualquer cor.

      • 36 Inácio Steinhardt 23 Março 2013 às 4:19 pm

        Caro Adilson,

        Obrigado por chamar a minha ateno. O que viu no final do meu blogue um anncio colocado pela WordPress como forma de recuperar alguma parte doObrigado por chamar s custos para manter o blogue. Para no ter esses anncios eu teria que pagar. Peo desculpa. No entanto, admito que a WordPress no colocaria nunca um anncio se ele representasse qualquer risco de virus. Quanto ao iPad gratuito, eu acredito que no h almoos de graa. Se algum d um presente, ele ter que arranjar uma maneira de ganhar com isso. Um abrao Incio

  28. 37 João da Motta Prado Filho 29 Junho 2013 às 2:28 pm

    Obrigado pela contribuição ao conhecimento

  29. 38 José antonio Dias 12 Julho 2013 às 8:24 pm

    Muito bom aprender com pessoas deste quilate. Sempre ouvia falar do País chamado Abissínia e sempre fiquei curioso por sua historia.
    Vivendo e aprendendo. Parabéns pelo autor.
    José Antônio Dias

  30. 39 DANILO 17 Julho 2013 às 5:15 pm

    MUITO OBRIGADO PELAS RESPOSTA QUE EU ESTAVA A PROCURA AQUI EU ACHEI

  31. 40 Djanira 18 Julho 2013 às 12:31 pm

    Prezado Steinhardt,
    Desejo que continue neste esforço de levar conhecimento para todos.
    Parte do meu coração brasileiro, o sentimento de gratidão, que ele o envolva e o faça alegre e bem disposto, nem que seja só por hoje.
    Um abraço.
    Djanira Abrantes

  32. 42 paulo jose 21 Agosto 2013 às 7:20 pm

    Boa tarde Steinhardt,prazer imenso ler seus documentarios fiquei feliz quando escreveu algo sobre Abissinia,pois foi uma das minhas ultimas reencarnaçoes,parabens e felicidades.

  33. 43 Airton de Oliveira 14 Fevereiro 2014 às 4:13 am

    Inácio Steinhardt , Achei por acaso sua página, estava procurando algo sobre a Abissínia, onde nasce o rio Nilo, e achei estas informações tão preciosas. Irei procurar mais informações nas páginas que escrevestes com muito amor e dedicação. Eu amo história de uma forma geral, Procure passar para os jovens, principalmente do Brasil, todas estas informações, pois infelizmente no Brasil a Educação, como todas as demais áreas, estão carentes. Nossos jovens não sabem quase nada à respeito de sua própria pátria. Espero ver uma mudança radical, no bom sentido, em meu país, antes que se rompa o fio de prata, e eu entre no sono de todos os mortais.
    Aqui no Brasil, amputaram a educação, quando vemos que falta faz a antiga matéria de OSPB, Aprendíamos diariamente a cantar o hino à bandeira enquanto a hasteávamos. Ficávamos em pé com a mão direita no coração durante a execução do Hino Nacional, etc..PS: Quero deixar registrado aqui meu profundo respeito aos meus irmãos africanos de várias localidades daquele continente por terem ajudado tanto a construir nosso querido Brasil, terra de todos os povos .E pedir perdão por tudo o que passaram para que hoje possamos ser uma nação de todos os povos, a segunda pátria de todos os povos do mundo. PAZ, Shalom, Shalam e outras saudações que ainda desconheço.

  34. 44 António Ferreira 25 Abril 2014 às 7:36 pm

    Boa tarde, caro Sr:
    Devido a uma investigação do ramo numismático, gostaria de saber se me poderia informar quando é que a Abissínia mudou de nome para a Etiópia, uma vez que não consigo encontrar essa informação, sff.
    Atentamente,

    António Ferreira

    • 45 Inácio Steinhardt 26 Abril 2014 às 7:26 am

      O nome oficial do país tornou-se Etiópia durante a segunda guerra mundial, (1939-1945) quando do fim da ocupação italiana. No entanto, a população sempre se chamou etíope. Foram os árabes que lhe puseram o nome Abissínia, de Habesh, mistura (de povos). Também na Bíblia, em hebraico, é Habash.

      No dia 25 de Abril de 2014 às 20:36, História das Palavras escreveu:

      >

  35. 46 http://blog.libero.it/gjuanakatelynn 20 Maio 2014 às 2:25 pm

    Today, I went to the beach front with my children. I found a sea shell and
    gave it to my 4 year old daughter and said “You can hear the ocean if you put this to your ear.”
    She placed the shell to her ear and screamed. There was a hermit crab inside and it pinched her ear.
    She never wants to go back! LoL I know this is completely off topic but I had to tell someone!

  36. 47 from Whiteboard to Star Schema pdf 18 Junho 2014 às 6:34 am

    Howdy! I know this is kinda off topic but I was wondering if you knew where I could
    get a captcha plugin for my comment form? I’m using the same blog platform as yours and I’m having
    trouble finding one? Thanks a lot!

  37. 48 Isabel Francisco 3 Janeiro 2015 às 6:48 pm

    Boa tarde sr ! Por favor, gostaria k me dissesse em k ano a Etiopia encntra se neste momento? Sei k é o pais k xta mais atrasado em termos de ano… Isabel Francisco

  38. 50 jose Senen de Alencar 28 Outubro 2016 às 3:33 pm

    A Abissínia já esteve sob domínio da Itália? Não houve guerra entre os dois países?


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s





%d bloggers like this: