As malhas fugidas do nylon

Haverá ainda, entre os meus leitores, alguém que se lembre ainda de certas profissões, que eram muito comuns no meu tempo e, desde então, desapareceram, ou quase?

Na Rua dos Anjos, em Lisboa, onde eu morava, no curto espaço de um quarteirão, havia a carvoaria do senhor Serafim, que fazia também as “bolas” para acender o fogareiro, havia a mercearia do senhor Pelicão, (ou seria Pericão?), havia o alfaiate senhor Miranda e o droguista Cardoso, a tabacaria Silva (só muitos anos mais tarde soube que o senhor, a quem todos chamávamos Silva, e nos vendia as borrachas e os lápis para a escola, afinal se chamava Espinosa. Ele deixava que o chamássemos Silva, uma vez que o nome da loja era Tabacaria E. Silva).

A um cantinho da loja do alfaiate, que era também a habitação da família Miranda, estava uma pequena mesa, onde trabalhava a senhora Ermelinda, cerzideira (sabem o que é?), que também apanhava as malhas, que ameaçavam “fugir” perna acima, nas meias das senhoras. Para isso tinha um copo de boca larga, sobre o qual esticava a parte da meia onde estava a malha fugitiva, e pacientemente a “apanhava” com uma agulha de barbela. As meias de algodão já não eram para as senhoras finas, as de seda ainda custavam um dinheirão, quando, no final da guerra, por volta de 1945, apareceram no mercado as “meias de vidro”. Era esse o nome vulgar das meias em fibra de nylon, que nessa altura, ainda que muito mais baratas do que as de seda, eram suficientemente caras, pois o nylon, que havia servido para o esforço de guerra, ainda era escasso no mercado. Vinham da América, claro, e já se vendiam no “contrabando”.

O nylon foi a primeira fibra sintética inventada, para substituir as fibras têxteis naturais. A seda era muito cara e os japoneses faziam uma fortuna com ela. Os americanos procuraram um substituto sintético, e o nylon (no Brasil escrevem “nailon”) foi sintetizado em 1935, pelo químico da DuPont, Wallace Hume Carothers. Poucos anos depois, em 1939, rebentou a Segunda Guerra Mundial, e todo o nylon que a DuPont pode produzir foi absorvido para fins militares. No após guerra, começaram a fazer, primeiro, as meias de nylon, e mais tarde outras peças de lingerie feminina, que até aí utilizavam a seda japonesa.

Contudo havia ainda escassez da nova fibra e as meias, como eram novidade, e, além de elegantes, eram práticas, tinham muita procura. Como o fio era muito resistente, se era puxado por um prego no sapato, não se rompia, mas a malha fugia, como um comboio. Era feio ver as malhas fugidas nas meias das senhoras. Surgiu então a arte das “apanhadeiras”: localizar sobre um copo a ponta da malha e, pacientemente, com uma agulha de crochet, reconduzi-la ao seu lugar. Mais tarde inventaram umas pequenas máquinas, semelhantes ao copo, que facilitavam o trabalho. Era uma forma das mulheres se estabelecerem de conta própria: comprar uma máquina e abrir banca numa janela, ou num canto de uma loja.

Lembro-me de me terem contado então que o exército americano pôs à venda uma grande quantidade de excedentes de guerra, entre os quais muitos paraquedas. Ninguém os queria, então em grandes quantidades.

Então houve um comerciante americano mais esperto que se lembrou de arrematar todos os paraquedas, desfiou o nylon e vendeu-o em bobinas, para a indústria

Mas, estou eu aqui a contar-vos a história de uma invenção, quando o tema deste cantinho é a “história das palavras” e não das invenções.

Pois a verdade é que não se sabe ao certo por que razão a empresa DuPont decidiu chamar nylon à nova fibra. Circulam muitas histórias.

Porque já participei algumas vezes, na minha vida, na escolha de nomes e de marcas para produtos, sei que é um processo difícil e demorado: tem que ter em conta que deve soar bem, ser aprovado pelos homens do marketing, atrativo para os utilizadores e não se assemelhar com outro já existente, senão não poderá ser registado.

Deve ter sido isso exatamente o que aconteceu com o nylon. Diz uma versão que a DuPont tinha fábricas em Nova Iorque e em Londres e juntou as abreviaturas de ambas as cidades NY+LON.

Depois é fácil inventar explicações: alguém disse a invenção da fibra americana veio prejudicar enormemente o comércio japonês da seda. “Now you’ve lost, Old Nippon” “Agora estás perdido, velhote nipónico”

13 Responses to “As malhas fugidas do nylon”


  1. 1 Nuno Matos 20 Março 2009 às 12:55 pm

    Prefiro a versão «Nova iorque e Londres»». Por nada, apenas porque sim.

    Um abraço

    Nuno

  2. 2 Paula Barcelos Pimentel 11 Junho 2009 às 2:46 am

    Olá!

    Estou procurando a origem da palavra Drumet ou Drumete ou Drumete. Você saberia?

    Abs,

    Paula

  3. 3 Edite Coelho 7 Julho 2009 às 3:10 am

    Inácio: Realmente você tem cada ideia! Sabe o que acabo de descobrir nas malhas das suas ideias? É que muitas das cerzideiras se deviam chamar Ermilanda, pois na Cova da Piedade (Almada) onde morei quando criança,também havia uma com esse nome. Também sou do tempo das lojinhas, e ainda hoje frequento a “Papelaria Palma”, e falo com o dono, o Sr.Palma que me vendia livros, cadernos e restante material escolar. Hoje, é quase impossível os meus alunos manterem este tipo de contacto com os pequeníssimos comerciantes porque compram quase tudo nos Supers e nos Hipers. De qualquer modo, aqui na Quinta do Conde ainda se consegue manter um pouco essa tradição porque a maior parte dos Encarregados de Educação compra os livros na Papelaria “Nice” e fala com a D. Nice, que nos atende com muita simpatia. Lembrei-me de partilhar este pormenor “do antigamente” porque adoro fazer compras nas lojas e não sou muito adepta do hipermercado, onde, por vezes, os funcionários que estão na caixa, são alguns dos meus antigos alunos das várias escolas por onde passei e me reconhecem logo, o que me faz ficar muito babada. Embora de maneira diferente, por vezes, há situações e ligações que se mantêm. Edite Coelho

  4. 4 José Carlos Gonzalez 17 Fevereiro 2011 às 9:59 pm

    Muito foi meu interesse em conhecer seu blog, pelo fato de ter grande atração pelas palavras e pelo seu histórico, em especial quando há alguma maneira de rir-se pelas explicações. A história do nylon achei muito boa, tanto as das iniciais de NY e London como também a que alfineta os nipónicos. No transcorrer da narrativa dizes que cá no Brasil se grafa náilon, mas não é fato, se escreve nylon mesmo, mas se fala náilon. O Brasil incorpora quase todas as palavras inglesas com grafia e sonoridades igual à origem. Sua historinha me fez lembrar da sigla “VARIG” a antiga empresa aérea que deixou saudades, que significava “Viação Aérea Rio Grande do Sul S.A.” mas que diziam ser “Vários Alemães Reunidos Iludindo Gaúchos”… Um grande abraço do José Carlos Gonzalez

  5. 5 sexy costumes school girl 9 Agosto 2014 às 11:46 am

    I know this if off topic but I’m looking into starting my own weblog
    and was wonderin what all is needed to get set up? I’m assuming having a blog like yours
    wuld cost a pretty penny? I’m not very internet savvy so I’m not 100% sure.
    Anyy tips or advice would be greatly appreciated. Kudos

  6. 6 Fishing Superstars Season 2 hack 14 Agosto 2014 às 12:39 pm

    Can you tell us more about this? I’d love to find out more details.

  7. 7 click here 14 Agosto 2014 às 1:54 pm

    Very shortly this website will be famous among all blog people, due
    to it’s nice content

  8. 8 nike football joueurs 16 Agosto 2014 às 2:42 am

    Thanks for sharing your thoughts on nike football joueurs pas cher.

    Regards

  9. 9 african mango diet pills 16 Agosto 2014 às 7:50 am

    I would like to thank you for the efforts you’ve put in penning this site.
    I’m hoping to view the same high-grade blog posts from you
    later on as well. In truth, your creative writing abilities
    has encouraged me to get my very own blog now😉

  10. 10 freeport tambah neraca dagang 16 Agosto 2014 às 8:57 pm

    80% of the companies have used social media for recruitment.
    Ada banyak pendapat yang berbeda tentang cara diet sehat dan
    cepat hal ini. Para anggota dari komunitas Indonesia
    ini dapat berdiskusi dalam beberapa macam kategori, seperti:
    community, entertainment, hobby, dan sebagainya.

  11. 11 https://storify.com/ 19 Agosto 2014 às 1:50 am

    At this time it looks like Expression Engine is the top
    blogging platform out there right now. (from what
    I’ve read) Is that what you’re using on your blog?

  12. 12 zalanie wodą 30 Agosto 2014 às 8:00 pm

    System kontroli wycieku wody Posejdon służy do wczesnego wykrywania
    i lokalizacji nieszczelności w systemie domów, mieszkań i instalacji przemysłowych.
    System blokuje przepływ wody, aby wyeliminować przyczyny nieszczelności i informuje
    o tym wypadku.

  13. 13 emma roberts 3 Setembro 2014 às 6:14 am

    Hello my loved one! I wish to say that this post is amazing, great written and come
    with almost all important infos. I’d like to look extra posts like this .


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s





%d bloggers like this: