Tâmaras na palma… da mão

“Ai Mouraria, da velha Rua da Palma…!”  “Reza-te a sina nas linhas traçadas na palma da mão…” 

Em que ficamos? Palma, de palmeira, ou palma das mãos?

Como já deram por isso, se é a mesma palavra, deve ter andado em bolandas na história. 

Pois a verdade é que a mesma palavra nasceu em latim, “palma”, com o significado de “mão”.    Por extensão, como os ramos das palmeiras pareciam estender-se como os dedos da mão, foram esses ramos chamados, ainda em latim, “palma”.  (“Domingo de Ramos”, em inglês, é “Palm Sunday”).

Foi esta acepção botânica a primeira a chegar às nossas línguas, através dos diversos dialectos germânicos – “palma” = ramo da palmeira.

A outra accepção, na realidade a original em latim, como vimos, a da parte da mão, em forma de concha, chegou-nos pelo francês “paume”.

Mão” veio também do latim “manu”.

O uso da mesma palavra para a mão e para o ramo da palmeira já vem de longe. Na língua hebraica, “Kaf” (plural “kapot”) é tanto a “palma da mão” (ou do pé), como o ramo da planta que aqui nos brinda com as deliciosas tâmaras (do hebraico “tamar”).

Ainda no hebraico, e por extensão, qualquer objecto cuja forma lembre a palma da mão, é “kaf” – “caf” é “colher”, e também “pá”.

O membro superior do corpo humano (“braço” em português, é, em hebraico, “yad”.  O membro inferior (a “perna”) é “reguel”.

Portanto a “palma do braço” é “kaf ha-yad” e a “palma da perna” é “kaf ha-reguel”.

Voltando ao nosso português, temos ainda muitos derivados do latim “palma”, desde “palmiforme” (em forma de palma), como o verbo “palmar”, ou seja apanhar com a mão.

E temos também o “palmo” – medida da extensão que vai da ponta do polegar à ponta do mínimo, estando a mão bem aberta. Medida de 0,22 m. 

3 Responses to “Tâmaras na palma… da mão”


  1. 1 marianadias 1 Fevereiro 2008 às 11:30 pm

    Que ótimo encontrar o seu blog, Inacio!
    As palavras são o meu vício. Saber mais sobre elas é inspirador.
    Voltarei sempre por aqui.
    Parabéns!

  2. 2 APC 4 Fevereiro 2008 às 4:10 am

    Achei, entrei, vim por aí afora, já li até ao Mindonça e vou continuar. Mas aproveito para deixar aqui um pouco de Palma… Daquela, da Rua e do Fado e da Amália e…!

    http://camuflagens.blogspot.com/2007/12/tudo-isto-existe-tudo-isto-triste-tudo.html

    … E os meus cumprimentos, é claro!🙂

  3. 3 Silas 10 Maio 2015 às 5:13 pm

    Admiring the time and effort you put into your website and detailed information you
    provide. It’s good to come across a blog every once in a while that isn’t the
    same old rehashed information. Great read! I’ve bookmarked your
    site and I’m including your RSS feeds to my Google account.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s





%d bloggers like this: