Vamos fuxicar?

Vamos fazer fuxico?    Sabem qual é a origem desta palavra?    Eu também não, mas se algum dia souberem, digam-me, porque eu gostava de saber.

Não sei porquê criou-se, entre alguns visitantes deste despretensioso blogue, a impressão de que eu sou uma autoridade em matéria de etimologia, ou até que sei muitas histórias de palavras.   Parece-me que, por mais de uma vez me apresentei como simples curioso, que gosta muito de aprender a história da ferramenta com que trabalho no meu dia-a-dia: as palavras.

Vem isto a propósito das muitas consultas que me chegam, de simpáticos visitantes, por vezes muito difíceis, mas a que faço sempre o possível por responder, mesmo que para isso tenha que ir aprender.   E até por isso tenho que agradecer os vossos contactos.

Mas algumas vezes tenho que confessar: “Não sei!”.

Ivete Godoi, de Salvador da Bahia, pede-me  a história das palavras “artesão” e “artesanato” e, se possível, a forma como se escrevem em sânscrito!   Imaginem.

A minha primeira reacção foi:  “Ora, artesão e artesanato, vêm de arte, com certeza.   E do latim, ars, segundo creio.   A que propósito chega aqui o sânscrito?   Que sei eu de sânscrito?”.   Claro que tinha que vir da língua-mãe “indo-europeia”, mas eu sei lá disso.

Mas tinha a obrigação de procurar de onde nos veio “ars” e foi isso que fiz.

Pois tem razão a nossa amiga artesã.  No Indo-europeu, a raiz ar [é assim que se escreve no nosso alfabeto; em devanagário não sei], ar, dizia eu, significava unir, juntarPara se unir duas coisas é preciso habilidade.  Foi com essa acepção que chegou ao latim, e deste ao francês, de onde derivou para as outras línguas.  Só em meados do século XVII foi a arte associada com a pintura, a escultura, etc.

Mas fazer com arte (arte + facere) é um artifício.  Hoje em dia quase tudo quanto usamos é artificial.

Não esqueçamos, porém, que tudo começou com o indo-europeu ar = juntar.  Para juntar os ossos temos as articulações, que juntam e ajudam a movimentar.

A não ser, lagarto-lagarto, que estas sofram de artrite.

E o tal “fuxico”, também é uma arte?    

5 Responses to “Vamos fuxicar?”


  1. 1 Ralf 18 Novembro 2007 às 2:14 pm

    Caro Inácio,

    na zona industrial, a “Ruhr area” (Ruhrgebiet), da Alemanha o palavra “futschikato” é conhecido no dialecto local no sentido de “kaputt, perdido, pleite”
    http://www.ruhrgebietssprache.de/lexikon/futschikato.html
    mas porque ?
    Vamos procurar….🙂
    Ralf

  2. 2 steinhardts 18 Novembro 2007 às 3:33 pm

    Obrigado, Ralf

    Fuxicar é
    1 Alinhavar, coser a pontos largos; fujicar.
    2 Fazer (uma coisa) à pressa e desajeitadamente.
    3 Remexer.
    4 Intrigar, mexericar: Fuxicava os vizinhos. Vivia fuxicando.

    A minha pergunta não é essa. A questão é qual a etimologia e a história da palavra?

    Obviamente o termo do Ruhr deve ter tido origem neste.

    Inácio

  3. 3 Ladybird 22 Novembro 2007 às 10:53 am

    Não sei se vai ajudar ou não, mas acho que essa palavra tem origem na língua africana Quimbundo, da família Banto. E dizia-se Fuuzya.
    Parece-me que houve uma espécie de fusão entre a palavra Fuuzya e a forma como os portugueses a pronunciavam, dando origem a fuxico. Não sei.

  4. 4 lopes cardoso 30 Novembro 2007 às 11:17 am

    Nao ha duvida nenhuma, que o amigo Inacio ter a arte de ensinar-nos o muito que sabe!

    Shalom.


  1. 1 Dank Museu das Palavras die Herkunft/Bedeutung des Wortes "fuxico" gelst ! - Das deutschsprachige Portugal Forum - Porto, Lissabon, Algarve Trackback em 22 Novembro 2007 às 9:13 pm

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s





%d bloggers like this: