Quem pediu beterrabas?


 Desculpem a curta ausência, e aqui vai esta para a vossa consoada: Estranha o leitor Mendinho:“Eu sempre me perguntei como é que em castelhano beterraba pode ser remolacha, quando em inglês é beetroot, em francês é betterave e em italiano é barbabietola.” 

Ora com franqueza, ó Mendinho, então queria que os castelhanos ficassem iguais a nós? Para que é a padeira trabalhou tanto com a pá em Aljubarrota.

Está boa a moenga! (quem foi que disse aí que já dizia o meu “avô” Jacinto? Não o meu “avô” Jacinto não falava assim, por que nã era alentejano. Por acaso até era ribatejano, de Mouriscas!) Agora a sério: os espanhóis também já usaram betarava e betarraga. Todos os exemplos que você menciona, vêem fundamentalmente da palavra beta, o nome botânico da acelga (beta vulgaris), com as diversas variações ortográficas.

Já era conhecida pelos povos dos primórdios da história, e crescia como planta selvagem, perto do mar.

Era utilizada apenas pelas suas folhas, para salada, ou cozida.

Quando começou a ser cultivada, para esse fim, houve alguém que se lembrou de se servir da raiz vermelha, para dar sabor à sopa. Depois de cozida, deitavam-na fora. Um dia aperceberam-se que a raiz continha grande percentagem de sacarose, sabia bem, e deixaram de a deitar fora. A parte final foi primeiro rave, raiz, também usada para designar o nabo. Daí também a terminação root (raiz), em inglês. No século XVI começaram a extrair da beterraba um xarope. E mais tarde desse xarope começaram a fazer açúcar. A produção industrial de açúcar de beterraba só teve início no século XIX.

E existem várias espécies, consoante as diversas espécies de beterrabas.  Agora, respondendo directamente à sua pergunta: os alemães já usavam meerretich (literalmente rábano do mar) para designar o rabanete. E foram busca-lo em tradução literal, ao latim armoracium, derivado, por sua vez, do gaulês are more, perto do mar.  Armoracium era a planta que nascia perto do mar. De armoracium  os italianos fizeram ramolaccio, de onde “nuestros hermanos” foram buscar a “remolacha”. . Assim deixaram de usar beterraga. E obrigado à Martha pela boa ajuda. Não deve ter sido para irritarem o amigo Mendinho, mas talvez para se vingarem da grande queda do Miguel de Vasconcellos, em 1640. Bem diferentes dos portugueses, pelo menos nas beterrabas.

Os italianos chamavam à acelga – bietola. Barba bietola, é a acelga cultivada, beterraba. Barbabietola acabou por ser mais usado do que ramolaccio.  

E já agora, em português também podíamos mudar para Beethoven, não é? Hoven é jardim, campo cultivado, portanto “plantação de beterrabas”?   Não! Embora haja quem faça esse erro. Beet, aqui, é bétula., a árvore. Vêem como a etimologia é traiçoeira. Jardim de bétulas. 

4 Responses to “Quem pediu beterrabas?”


  1. 1 mendinho 3 Janeiro 2007 às 10:16 pm

    Não conhecia essa interessante história da palavra. Obrigado!

  2. 2 mem 2 Abril 2011 às 3:11 pm

    Obrigado pelo texto.

    Sugiro algumas correções:

    Atenção à construção:
    “Para que é a padeira trabalhou”
    “Para que é a…” – não faz muito sentido aqui.

    “busca-lo” deverá ser “buscá-lo”.

    “vêem fundamentalmente”

    Do verbo vir e não ver, como tal, deverá ser:

    “vêm fundamentalmente”.


  1. 1 vida Trackback em 25 Julho 2014 às 7:48 am

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s





%d bloggers like this: