Ainda os cereais do pequeno-almoço -II

Tenho uma dívida para convosco, que hoje vou pagar. No texto sobre os cereais para o pequeno-almoço, prometi escrever ainda sobre os Quaker. 

Pois bem, Quaker e Quaker Oats (Aveia Quaker) são marcas registadas da Quaker Oats Company, uma empresa americana, com sede em Chicago,  fundada em 1901, pela fusão de três companhias, que trabalhavam já com produtos da aveia. Além destas, faziam parte do grupo fundador, alguns pioneiros americanos. Actualmente, além de cereais semi-preparados para o pequeno almoço, dedica-se também ao fabrico e comércio de outros produtos, alguns com muito pouca relação, como brinquedos. Ultimamente está ligada também aos fabricantes da Pepsi Cola. 

Os produtos da Quaker distinguem-se facilmente nas prateleiras pela sua marca registada, que contem a figura de um membro da religião conhecida pela designação de Quaker. Aliás, há séculos, que os Quakers já se não vestem assim. Contudo era essa a antiga imagem dos Quakers e foi escolhida pela empresa pela reputação que tinham de honestidade e de conduta exemplar. Contrariamente ao que muita gente pensa, a Quaker Oats Company não tem qualquer relação com a Sociedade Religiosa dos Amigos, a que vulgarmente se chama Quakers (pessoas que tremem), porque antigamente, nas suas práticas religiosas, entravam em êxtase e tremiam muito. Veja-se, por comparação o termo inglês “earthquake”, significando “tremor de terra”. Era, na altura, uma forma de os ridicularizar.Criada em 1652, pelo inglês George Fox, a Sociedade dos Amigos foi uma forma de reacção contra os abusos da Igreja Anglicana (Church of England), colocando-se sob a inspiração directa do Espírito Santo.

Os membros desta sociedade rejeitam qualquer organização clerical, para viver, no recolhimento, na pureza moral e na prática activa do pacifismo, da solidariedade e da filantropia. Perseguidos na Inglaterra por Carlos II, os Quakers emigraram em massa para a América, onde, em 1681, criaram sob a égide de William Penn, a colónia da Pensilvânia, hoje um dos estados membros dos Estados Unidos.  

Uma parte dos membros da Sociedade de Amigos considera um abuso, por parte da Quaker Oats Company usarem do nome Quaker e da figura que imita um dos seus membros, como marca para os seus produtos. Possivelmente nunca puderam fazer nada contra isso, uma vez que Quaker foi um apodo que lhes puseram e não faz parte do nome da sua Sociedade.  Por curiosidade, nos arquivos da Inquisição, há um relatório emitido pelos visitadores que, nos Açores, iam a bordo dos navios estrangeiros ancorados, vistoriar se não haveria lá livros proibidos, imagens indecentes (que não fossem de santos católicos) ou indivíduos suspeitos de propagarem heresias. De um desses navios, registaram o facto de que capitão “era cueca” (sic)! Quaker, evidentemente, portanto herege e suspeito. Não, não vou explicar aqui a etimologia do verdadeiro termo “cueca” em português, pois não quero ser acusado à Inquisição por usar de linguagem pouco própria. 

3 Responses to “Ainda os cereais do pequeno-almoço -II”


  1. 1 a. cardoso 19 Outubro 2006 às 6:49 am

    Sim de facto temos que ter muito cuidado com a inquisicao, porque embora extinta oficialmente, continua activa pela contidade de inquisidores-mores.

    Shalom.

    Al

  2. 2 Joana Rabinovitch 20 Outubro 2006 às 1:28 am

    Parabéns pelo blog, ou será blogue?

    Os almeidas ainda existem!

  3. 3 LÉO 13 Fevereiro 2010 às 8:10 pm

    QUERA SABER AS PROPRIEDADES DE AVEIA QUAKER.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s





%d bloggers like this: