Flocos ao pequeno-almoço

Hoje apeteceu-me conversar convosco sobre uma das muitas invenções, que nasceram de erros e da vontade de os remediar.
Os cereais do pequeno-almoço, em flocos, que hoje se vendem num sem número de variedades, que só servem para dificultar a escolha, são uma dessas invenções.
Os flocos “prontos para comer” são normalmente de milho, ou “corn-flakes”, um nome que normalmente aparece associado com a marca “Kellogg’s” (passe a propaganda).
“Kellogg’s of Battle Creek” é o nome original da empresa. E aqui cabe um pequeno parêntese para explicar este nome.
Em 1825 dois agrimensores travaram uma pequena batalha com dois índios do Michigan, junto de um pequeno riacho. Aparentemente ganharam os funcionários brancos, e o lugar ficou a ser conhecido por “Battle Creek”, ou “riacho da batalha”.
Não foi, porém, por essa batalha, que a cidade, que ali se formou, ficou conhecida na história.
Em meados do século XIX, a Igreja Adventista da América, estabeleceu ali a sua sede e o seu Centro de Publicações.
Um dos princípios daquela comunidade religiosa era a alimentação racional e vegetariana. Por isso, criaram, no mesmo complexo, uma espécie de sanatório, onde os pacientes recebiam tratamento baseado na nutrição natural e na medicina preventiva.
Dirigia esse sanatório o Dr. John Harvey Kellogg, já então conferencista famoso em matéria de nutrição. Com ele trabalhava um seu irmão, chamado Will Keith Kellogg. Ambos dirigiam um projecto de selecção de alimentos nutritivos para o pequeno-almoço.
Um dia, em 1894, os irmãos prepararam uma massa de farinha de trigo e, tendo que ir atender a uma emergência, deixaram-na ficar crua e destapada durante muito tempo. Quando foram por ela, tiveram a triste surpresa de ver que a massa tinha secado e estava intragável.
Como tinham uma máquina para esticar a massa e torna-la muito fina, pensaram salvar a situação, passando a massa, que se estragara, entre os dois rolos metálicos aquecidos, esperando obter uma massa semelhante à que os pasteleiros usam para os bolos “mil-folhas”, muito fina, que pudessem servir aos pacientes.
O resultado, porém, foi inesperado: as folhas de massa estalaram entre os rolos metálicos, e o que saiu foram flocos. Desilusão.
O orçamento da casa era muito frugal, deitar fora o trabalho era um prejuízo que queriam evitar e os irmãos Kelloggs decidiram, mesmo assim, aproveitar esses flocos, e servi-los tostados aos doentes.
Os pacientes simplesmente adoraram-nos e pediram para lhes servirem mais vezes aqueles flocos ao pequeno-almoço.
Pouco tempo depois Will Keith Kellogg registou a patente e deixou o trabalho no sanatório, para fundar ali mesmo, a “Kellogg’s of Battle Creek”, uma fábrica que fornecia cereais de pequeno-almoço, em flocos torrados, para toda a América.
Hoje, como sabem, a Kellogg’s tem filiais e fábricas em quase o mundo inteiro.

Terminada a validade da patente, muitas outras empresas começaram a fabricar cereais de pequeno-almoço, baseados mais ou menos no mesmo princípio. Como se pode ver nos supermercados.
Bom proveito.

A história dos flocos de aveia da “Quaker Oats” – que nada tem que ver, a não ser o nome, com a organização religiosa dos Quakers – ficará para uma próxima oportunidade, se ainda estiverem interessados.
Uma nota final, para todos os simpáticos visitantes, que têm escrito aqui comentários e me enviam dezenas de emails. Peço-lhes que continuem a faze-lo, pois me permitem aumentar os meus parcos conhecimentos da matéria. Faço o possível por responder, ainda que sucintamente às interessantes perguntas que me fazem. Mas infelizmente o tempo de que disponho é pouco, pois tenho que trabalhar também em assuntos mais úteis. Não fiquem aborrecidos comigo se as respostas levaram mais tempo do que seria delicado da minha parte.
Manuel Moura, dê-me o seu email, para lhe poder responder directamente. Já o fiz, mas voltou.

1 Response to “Flocos ao pequeno-almoço”


  1. 1 rute guglielmi 21 Fevereiro 2007 às 5:41 pm

    li sua pagina de cereais e amei por substituir um almoco.
    gostaria de mais esclarecimento sobre o mesmo cereais de morango e como posso possuir se moro em santa catarina.. mande me um mail mais em portugues… quem sabe um dia falarei ingles…. abraco


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s





%d bloggers like this: