Para me enviar directamente um email, clique aqui

53 Responses to “Email”


  1. 1 ISER da UNL 23 Novembro 2006 às 4:07 am

    Veja, por favor, este artigo com atenção, sobre a origem das palavras:

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Mois%C3%A9s_Esp%C3%ADrito_Santo

    http://pt.wikipedia.org/
    “Moisés Espírito Santo”

  2. 2 steinhardts 23 Novembro 2006 às 9:11 am

    Agradeço a quem me enviou este enlace, lamentando não ter sido capaz de identificar o amável autor. Não sei sequer o que é o ISER, imaginando ser o Instituto de Sociologia e Etnologia das Religiões. É também o meu nome judaico, cuja origem também é problemática, e que eu uso pouco.
    Li com a maior atenção e respeito a impressionante biografia do senhor professor Moisés Espírito Santo.
    Não tenho erudição, nem cultura e educação superior para pretender sequer argumentar com uma autoridade como professor Espírito Santo.
    E, na falta dessas indispensáveis ferramentas, tenho que tentar aprender, servindo-me de três elementos únicos: o que leio, o que aprendo e, como não podia deixar de ser, a minha intuição, que me permite ou não aceitar e aprender o que leio.

    Por isso, desde que iniciei o meu blog sobre a história das palavras, frizei que tudo quanto pretendo é partilhar com os meus leitores o que vou aprendendo sobre a vida das palavras que usamos.

    Muito grato pelo contacto, estimarei saber o nome da pessoa que me permitiu aprender mais uma coisa.

  3. 3 rubens 3 Dezembro 2006 às 1:09 am

    gostaria de saber a origem da palavra avô.quando surgiu,em que país ou etnia

  4. 4 André Feitosa 5 Janeiro 2007 às 4:38 am

    Prezado,

    De muitíssimo bom gosto vosso sítio eletrônico. Gostaria, se possível, de ler os seus comentários acerca do vocábulo “sertão”.

    Um agraço do nordeste brasileiro.

    André Feitosa.

  5. 5 viviane 22 Maio 2007 às 12:07 am

    gostaria de saber a origem da palavra vendedor

  6. 6 Regina Celia 1 Agosto 2007 às 4:17 am

    gostaria de saber a etmologia e o significado em grego da seguintes palavras:
    Samaria
    Betel
    Jericó
    Jordão
    Gilcal

  7. 7 Natercia de Lima 5 Agosto 2007 às 1:45 pm

    Já nao sei o que pensar se há portuguêses que se dao ao luxo de escrever coisas que nao sabem .
    Eu nunca ouvi dizer que ” encrenca” é de descêndencia espanhola e ainda menos alema.
    Eu sei que isto é rídiculo mas eu gostava de saber porque razao se escrevem coisas destas à cerca da lingua portuguêsa?
    Ainda se fosse verdade?!!!!!!!!??????? Mas eu sei qual a razao de tanto ignorancia!
    É que os que escrevem, já nem sabem onde nasceram !?????????
    Possivelmente é um daqueles que gostam de gozar com o português e só se limita a escrevêr aquilo que muito bem pensa, para poder ridicularizar os que ainda sabem o que fazem !
    Nao quero mais nada que dizer, que quem escreve e nao sabe o que diz, ainda consegue ser mais ridiculo.
    Eu sei o que digo e ainda mais o que faco , só nao sabia que ainda havia pessoas que se dao ao luxo de se ridicularizar a si próprios quando mandam mensagens para onde há pessoas que sao pouco acessiveis ao comércio linguistico, ainda por cima com sinais que evitam as respostas para se poder justificar que a noticia é verdadeira .
    Eu vou escrever um dia destes àcerca disto, para poder evitar que quem publica certas coisas possa levar quem quer que seja a acreditar no que lê sem ter possibilidades de se poder certificar do conteúdo da notícia .
    Parece que o fascismo continua a reger na cabeca deste Senhor!!!!!!!!!?????????????????
    Natercia de Lima

    • 8 Nuno 24 Setembro 2010 às 12:27 pm

      Isto dito por uma pessoa que dá erros em quase todas as palavras, soa mesmo bem :)
      O próprio nome da autora do comentário está mal escrito. “Natércia” tem “É”. Senão lêrse-ia “NatercÍa”. Isto é Português

  8. 9 Natercia de Lima 5 Agosto 2007 às 2:04 pm

    O portugês nao tem nada a vêr com o brasileirismo, que aqui aparece! E eu vou fazer os possiveis para que quem lêr estas coisas nao lhes dê crédito.
    Este senhor nao é português e só quer ridicularizar um povo que nao lhe fez nada.
    Eu sou portuguêsa e nao gosto que facam pouco do que eu digo, assim como ninguém gosta que venha de lá um “Zé ninguem ” do Sertao fazer publicidade daquilo que nunca viu escrito em livro nenhum.
    Eu sou capaz até de o processar por ” difamia” , só porque me sinto provocada pelo facto de que quando eu possa vir a falar com uma pessoa conhecida , ela me venha dizer que o português é só o brasileiro que a fala.
    Eu estou no meu direito de escrever ao Presidente da Républica portuguêsa para lhe mostrar o que se diz da lingua portuguêsa por pessoas que nunca aprenderam esta lingua, nem sabem a origem dela.
    Eu estou até satisfeita por encontrar o culpado da propagacao da lingua portuguêsa, como sendo a lingua original brasileira .
    Isto só para saber que o brasileiro até nem nunca gostou do português e só se seve disto para difamar quem lhe apagou a fome no tempo dos reis, porque se nao fosse o português ir ao Japao , também os brasileiros nunca tinham aprendido a falar , visto que a sua lingua original é a lingua nativa do pigmeu, que é tao boa e tao má que eles nunca a quizeram adoptar e nao chegando ainda querem roubar ao português aquilo que lhe pertence dizendo que a lingua originária do Brasil é a lingua portuguêsa , quando o português nunca soube dizer mais nada que “merda” a quem o trata mal.
    Eu nao vou ofender ninguém se disser que o brasileiro nao presta, visto que me sinto ofendida que chegue, por vêr os cataplasmos em todo o lado onde estou , aqui na Alemanha , onde diz que a lingua portuguêsa agora se chame “Brasil”.
    Eu nuca gostei mutio do geito de dizer ” eu sou português de gingeira”, mas ainda gosto menos do geito do brasileiro me chamar “brasileira”, porque eu nunca fui ao Brasil nem sei o que se chama Brasil em espanhol?
    Ou será que eu posso dizer que o Brasil fica na China, para poder justificar que afinal o Brasil é só o que chama divulgar o que é do português e nao lhe pertence ?????????
    Natercia de Lima

  9. 10 Natercia de Lima 5 Agosto 2007 às 2:08 pm

    Agora fico só com a resposta de que valeu a pena, porque daqui já nao sai a questao de que -”quem diz está dito e nao que quem desdiz nao está dito”.
    Isto é só para o que percebe muito de português!
    Pode ser que este Senhor saiba o que isto quer dizer sem têr que ir ao dicionário de alemao para poder traduzir um ditado que ele nao conhece, para poder depois dizer que é também brasileiro, visto que ele nao sabe que no Brasil se fala português e nao brasileiro e na Alemanha fala-se só alemao e ano brasileiro .!????????
    Natercia de Lima

  10. 11 steinhardts 5 Agosto 2007 às 4:36 pm

    Acerca da minha entrada sobre as possíveis origens da palavra “encrenca”, apareceram na secção “email” deste blogue, dois comentários assinados por alguém que, escrevendo da Alemanha, diz ser portuguesa e se assina “Natércia de Lima».

    Não posso responder aos comentários feitos, porque é certo que não compreendo o português dessa Senhora.
    Em português, como em qualquer outra língua, há diversos dialectos e diversos graus de conhecimento. Os meus e os da referida Senhora são diferentes.

    Os meus, adquiri-os na Escola Municipal n.º. 1, na Rua do Saco, em Lisboa, e muito me orgulho do diploma do 2.º grau, “com distinção”, que guardo como coisa preciosa. Depois disso, li, de facto, umas coisas, que gosto de compartilhar com as pessoas, que me dão a honra de me visitar aqui, e de conversar comigo, na minha língua materna, que eu entendo.

    Não admira, pois, que pessoas, com uma cultura diferente, eventualmente mais elevada, não compreendam o que eu escrevo.

    São conversas amenas, não são “dicertações” (no tempo em que eu aprendi, já lá vão mais de 60 anos, escrevia-se “dissertações”, com dois “ss”, imaginem! do latim “dissertare”), em que conto o que me contaram a mim, pessoas com mais saber, pois procuro sempre pendurar-me em árvores mais altas do que eu. E, quando tenho dúvidas, como foi o caso desta “encrenca”, não hesito em confessá-las.

    Apesar de não ter compreendido a linguagem dos dois comentários, e de um terceiro que me foi enviado directamente e que reproduzo abaixo, procurei nos mesmos a explicação correcta da história da palavra “encrenca” . Valha-me a minha ignorância, pois não consegui encontrar a reposição da verdade portuguesa.

    À falta de autoridade mais acessível, que não conhecia, já tinha tomado a iniciativa, antes de escrever a minha entrada, de consultar a Sociedade da Língua Portuguesa, de Lisboa, a cuja direcção, apesar da minha muita ignorância, já tive a honra de pertencer.

    A resposta que recebi, assinada pelo Dr. A. Tavares Louro, professor da língua portuguesa, que eu aprendi e falo:

    [Resposta] Encrenca é um vocábulo derivado regressivo do verbo encrencar.
    Apresentamos quatro teses sobre a evolução do verbo encrencar:
    1 — Origem obscura.
    2 — Formado do adje(c)tivo espanhol enclenque, que significa «adoentado».
    3 — Derivado do vocábulo provençal cranc, que significa «coxo; decrépito».
    4 — Derivado do verbo latino intricare, que significa «embaraçar, enredar».
    A. Tavares Louro :: 17/07/2007

    Esta resposta deixou-me margem para apresentar aqui uma outra tese, que, como as restantes aqui publicadas, não é minha.

    Dos dois referidos comentários pareceu-me compreender, já não tenho a certeza de estar certo, que nos prometem voltar a aparecer em público, para nos darem uma lição desse outro português. Como é que dizia o meu bom avô Jacinto, de Camarate? “Aprender até morrer!”

    O terceiro comentário, que me chegou por correio directo, diz o seguinte:
    Nao estou muito contente com a sua dicertacao sobre as coisas que só os portuguêses sabem defenir!
    Eu sei o que se passa no estrangeiro e nao acho nada bom que o Senhor ande por aí a dizer que o português é de descêndencia alema, visto que nao sabe que “enrenca” nunca teve origem alema, nem tao pouco brasileira , visto que o Senhor nem porutguês sabe, senao nao dizia nem publicava coisas que nunca se escreveram em lado nenhum e ainda menos por pessoas que nao conhecem a lingua portugêsa.
    Eu jurava que o que o Senhor escreve, nem da sua autoria é .
    Nao falando na mentalidade latina, que ninguem sabe como é a nao ser os que a conhecem ,por serem descendentes dela!?
    Eu até jurava que o Senhor nem brasileiro é, mas sim só ajudante de um advogado que agora quer só evitar, que eu como portuguêsa nao me irrite e diga que o Senhor, nao só e´mentiroso, como ainda mais especulador de linguas, que nunca aprendeu , nem sequer teve contacto só porque nao tem mais onde gastar a memória do fascismo na Inglaterra , ou talvêz até na China!! Pode ser que você lá tenha futuro!?????????
    Se alguém que sabe umas coisas lê o que você escreve , você vai desta para melhor e nunca mais mexe no papel!!!!
    Pois já Camoes dizia – ” eu quero , digo e faco” – nao esquecendo porém, que o tempo do colonialismo já passou há muito tempo e eu nunca lá fui para vêr, nem difamar a lingua dos nativos brasileiros, que sao miopes e nao vêm que quem escreve, tem que saber o que diz……………
    Natercia de Lima

    Compreenderam? Eu, infelizmente, ainda não!

    Que tenham todos uma boa semana

    Inácio

    • 12 Edite Coelho 8 Julho 2009 às 10:11 am

      Cara Natércia de Lima:
      Perdoe-me mas não percebi muito bem a sua dúvida…nem o seu conceito…nem a sua escrita…nem por que razão chama míopes aos nativos brasileiros…nem porque não aprendeu nada com o Inácio… nem porque duvida dos conhecimentos do dito…nem porque duvida da autoria da escrita do mesmo…nem percebi muito bem se você é portuguesa ou brasileira, uma vez que o seu sotaque gráfico é abrasileirado…também não percebi muito bem porque chama pigmeus aos brasileiros…também não percebi a sua escrita ao correr da pena…também não percebi como é que se “rouba” uma língua, que é uma dádiva que se partilha…não percebi muitas outras coisas na sua escrita, mas percebi que há muita raiva na sua pessoa. Não percebi porquê, pois você não explica, mas…agradeça sempre: mesmo que não goste de alguém porque lhe encontra muitos defeitos, agradeça a Deus por ser diferente…mas aqui entre nós, você, que se acha tão sábia, tente compreender melhor os outros, que apesar de muito, muitíssimo ignorantes, também tentam compreendê-la a si, e, apesar do muito esforço, também não o conseguem.
      Faça um pequeno esforço e olhe para a maravilha da vida, com pessoas de tantos credos,feitios,cores e nações, com animais e vegetais de tanta forma e feitio e sinta como é bom viver no meio de toda esta diversidade, tentando imaginar como tudo seria horrivelmente diferente se todos fôssemos clones uns dos outros.
      Desejando-lhe tudo de bom e sempre ao dispor.
      Edite Coelho

  11. 13 maria fransiscana 30 Setembro 2007 às 10:26 pm

    muito fixe´´

    I Love Old People

  12. 14 Joao 30 Setembro 2007 às 10:29 pm

    Eu tenho 67 anos, e adoro internet. Demoto muito tempo para escrevr algima coisa.

    Rambem gosto de pessoas velhas. Esta poi fra rir.

    Postem, como dizem estes jovnes

  13. 15 Jorge Martins 25 Novembro 2007 às 4:40 pm

    Caro Inácio Steinhardt,
    Não sei se está ao corrente da proposta de memorial às vítimas do massacre judaico de Lisboa de 1506 no Largo de São Domingos, que esteve para ser votada na Câmara Nunicipal de Lisboa no passado dia 31 de Outubro. Acontece que foi adiada sine die e pode ficar na gaveta, como é costume em Portugal. Penso que é uma boa proposta, que permitirá deixar uma marca muito importante para as futuras gerações sobre a história dos judeus portugueses, que foi apagada da História de Portugal.
    Lancei uma petição on-line para que a proposta avance mesmo e o memorial seja inaugurado, como está previsto, no próximo dia 19 de Abril.
    Se concordar, agradeço que a subscreva e a divulgue: http://www.petitiononline.com/samusque/
    Melhores cumprimentos,
    Jorge Martins.

  14. 16 Jackson 13 Junho 2008 às 8:01 pm

    Gostaria de saber o significado da palavra MESA, pesquisando a respeito do objeto em questão descobri que o utensílio foi criado e comercializado por árabes e persas como base, contudo, esta resposta é apenas antropológica, gostaria de ir mais fundo na etmologia da palavra averiguando se existe algum teor que associe a comunhão, reunião, refeição, enfim…a mesa em sua essência serve para que? Aguardo respostas…

  15. 17 Harlan 23 Junho 2008 às 3:26 am

    Caro Inacio Steinhardts

    Chamo-me Harlan Costa, sou engenheiro brasileiro, mas também sou um curioso a respeito da “etimologia” das palavras, principalmente no português, o nosso belo idioma.

    Observei que em muitos idiomas europeus, a palavra ‘noite’ tem uma estrutura semelhante, formada pela letra N e o nome do número 8 (oito), sendo assim:
    N + 8

    Não sou nenhum poliglota, mas no que pesquisei entre os idiomas europeus verifiquei o seguinte:

    Línguas latinas

    Latim – N+Octo = Noctis

    Português – N+Oito = Noite

    Espanhol – N+Ocho = Noche

    Francês – N+Huit = Nuit

    Italiano – N+Otto = Notte

    Romeno – N+Opto = Noapte

    Línguas Saxônias

    Inglês – N+Eight = Night

    Alemão – N+Acht = Night

    Holandês – N+Acht = Nacht

    Pesquisei a origem etimológica desta curiosa formação, porém não tive sucesso. Pergunto então, se terias esta resposta.

    Grato,

    Harlan Costa

    São Luis – Maranhão – Brasil

  16. 19 Harlan 23 Junho 2008 às 3:38 am

    Corrijo-me:

    Alemão – N+Acht = Nacht

    Romeno – N+Opt = Noapte

    Aproveito e parabenizo este blog, por tão apuradas pesquisas.

  17. 20 Inácio Steinhardt 23 Junho 2008 às 5:49 pm

    Caro Harlan,

    Este curioso tema já vem sendo tratado por muita gente, sem que haja sido encontrada uma resposta definitiva.

    Aparentemente é mesmo uma coincidência.
    E não uma coincidência tão grande como isso.
    Isso só sucede nas línguas indo-europeias, e dentro destas nas românicas e saxónicas.

    Os nomes dos números mantiveram-se em quase todas as línguas. Oito era okito em indo-europeu. Noite era nokuts.
    Basta que tenha passado para o Grego/Latim e para o Antigo teutónico. As pessoas têm sempre a tendência para pronunciar as palavras segundo determinados padrões.
    Aí parou a coincidência.
    Do latim propagou-se para todas as línguas românicas e seus dialectos históricos,
    E do teutónico para as saxónicas.
    Como como todas as outras palavras.
    Não sucede isso com as restante famílias semíticas, com as semíticas e as fino-ugrianas.

    E que me diz de nove e novo, neuf e nouveau, nine e new.

    Já me parece menos coincidência e mais universal a presença de certos sons em palavras, que poderão ter sido das primeiras que o homem pronunciou.
    Mãe, por exemplo, tem o som “mmm” em grande número de linguas, um som labial, que talvez lembra a acção de mamar. Tudo especulações.

    Obrigado pela visita e pelo comentário.

    Inácio

  18. 22 telma 2 Julho 2008 às 4:49 pm

    Ola, gostei muito do seu blog, pena que têm pessoas tão amargas como essa tal de Natercia Lima.
    Morei em Portugal em 1996 até 98, meu marido era da embaixada do brasil em lisboa, tenho boas lembranças de lá, hoje moro em Salvador, uma cidade muito parecida com o porto, sou separada, adoro ler e conversar com pessoas inteligentes (isso nem sempre é possível)
    Um forte abraço
    Telma

  19. 23 andre 12 Julho 2008 às 9:29 am

    Ah….hehe, so para dizer que também sou portugues, e não entendi uma unica palavra que essa tal de natercia falou (passe o exagero) e por aqui me fico antes que ela me processe por “difamia” (seja la isso o que for). SO não entendo como uma pessoa com dificuldades tão evidentes a escrever portugues (ok vive na alemanha?), se aventura tanto nestes terrenos da lingua, como se fora uma autoridade na matéria, eu aconselharia a essa senhora terminar a 4ª classe primeiro, mas nem isso será suficiente, porque mesmo sem erros ortograficos o discurso continuará a ser lamentavel.
    Quanto á palavra “encrenca” acho improvavel ser de origem alemã, e ter passado do brasil para portugal, visto que para isso teria que ser uma palavra recente, e os meus avós ja usavam essa palavra (num tempo em que não havia televisão) por isso acho improvavel mas possivel.
    Ja agora falando de palavras que vieram do brasil para portugal, e teem vindo algumas recentemente, gostaria de saber a etimologia de OTARIO! que foi um das primeiras a ser recentemente absorvida pelos portugueses, ainda que por vezes existam palavra que aqui cairam em desuso e são reintroduzidas pelo brasil, mas não me acredito ser o caso de otario.

  20. 24 andre 12 Julho 2008 às 9:38 am

    E ja agora apesar de não me identificar minimamente com o discurso da natercia, ela não deixa de ter uma pontinha de razão, porque vejo muitas vezes os brasileiros por exemplo neste caso da lingua, a tentarem descobrir significados de palavras e historia em geral, sem antes passarem por portugal, se calhar se soubessem que a palavra encrenca ja existe ha tantos anos em portugal, não surgiriam esse tipo de teorias acerca da possivel origem alemã (que não deixa de ser possivel)…no fundo acho (tenho a certeza) que existe uma grande ignorancia relativa a portugal, inclusive chego a ver brasileiros que ficam surpreendidos quando me veem falar uma lingua tão igual á deles, o que é sintomático…
    Bem haja!

  21. 25 andre 12 Julho 2008 às 9:47 am

    ps: ainda assim apesar da palavra encrenca ser de uso comum ha muitos anos em portugal (não sei precisar se ha 50 100 ou 200), é muito mais comum e frequente no brasil. E enquanto leigo acho a palavra parecida com “intrincado” que tem um significado parecido, uma situação intrincada é uma situação dificil e complicada é uma : encrenca, porventura estará relacionada com essa palavra, é apenas mais uma possibilidade.

  22. 26 NATÉRCIA DE LIMA 18 Julho 2008 às 12:03 am

    Nao ha´sim sem senao..
    Eu acredito na mente que diz que o Senhor nao é bem português.. pode ser que me engane, mas nos meus tempos de escola, no tempo do fascismo nao havia tanto tempo para se poder emprestar os dicionários a pessoas que nao sabem bem o significado da palavra “encrenca.”.
    Eu nAo sei bem; mas acho que “encrenca ” ,descende mesmo do latin e nao do inglês e ainda menos do brasileirismo que roda na lingua que eu aprendi, só como latin, com acessórios de português..
    Isto quer dizer que eu tenho conhecimentos que cheguem, para poder dizer que sei que o latin, nao tem só o que se chama “ser morta “, mas sim “muito viva”, pois eu sei ainda que no latin há tanto português que chega para dizer que “latin é só português”.
    Quero dizer que no latin nao há mais do que encrencas..
    Talvêz lhe diga alguma coisa saber que no português hoje se fala ais brasileiro que latin e talvêz por isso ja´haja quem se tenha esquecido de lêr as palavras que Camoes escreveu, onde dizia que morria se visse alguém misturar o latin que ele tinha, com o brasileirismo que hoje se vê…
    Nao é mau , ams bom também nao, pois eu sou o que sou e nao quero dizer que falar o alemao, nao e´só o fascismo, se lhe disser que o alemao também nao admite que lhe chamem holandês, só porque a lingua parece quase igual….!!!!!!
    Percebeu agora a amargura de vêr a lingua a perder-se no tempo ?
    No meu tempo o português nao dizia ” eu fazia se pudesse, mas sim ” eu faco porque sei.. “; ou entao ” eu vou onde quero ” e nao ” eu vou onde me mandam”.
    Isto de dizer que o recado nao dá também ::::nao E´BOM; POIS EU QUERO AINDA VIVER O SUFICIENTE PARA PODER FALAR O LATIN QUE CONHECO DOS MEUS TEMPOS DO FASCISMO…..
    NAO SE DIZ HOJE, QUE NESSA ALTURA ERA MELHOR??????
    OU FOI POR ISSO QUE O INGLÊS HOJE APRENDEU A LÊR PORTUGUÊS COM ACENTO LATINO??? OU SERÁ BRASILEIRO??????
    OBRIGADO PELO APELO, MAS EU AINDA NAO TINHA LA´IDO VÊR…..
    NATÉRCIA DE LIMA

  23. 27 Catia Oliveira 31 Julho 2008 às 4:05 am

    Qual a origem da palavra COMUNHÃO?

    Obrigada desde já,

    Cátia

  24. 29 Manoel Medeiros 9 Setembro 2008 às 12:48 am

    Amei você Natercia!
    Vou criar uma personagem assim para polemizar com os comentaristas em outros blogs.
    Um beijão,
    esteja você na Alemanha, na Trácia ou Natércia

    Mané

  25. 30 Nadja 25 Setembro 2008 às 6:11 am

    Olá!

    Foi recebido um e-mail perguntando a otigem da palavra: amigo?
    E, também, o pedido para pesquisar a origem do nome Nadja?
    Obrigada.
    ngf-2598

  26. 31 Ana 7 Outubro 2008 às 12:12 am

    Caro amigo,

    Desde já quero congratulá-lo pelo seu blog. É muito bom e de grande utilidade!
    Há uns dias debatia com colegas de trabalho a origem de algumas palavras e surgiu a dúvida sobre a origem da palavra “fixe” (equivalente ao “muito legal”, no português do Brasil). Investiguei na Internet, falei com uma professora e não consegui saber nada a respeito da etimologia deste termo “calão”, utilizado pela grande maioria dos jovens em Portugal.
    Muito obrigada!

    • 32 Nuno dos santos 4 Novembro 2010 às 8:35 pm

      tambem ando a procura… num filme bem classico portugues de 1947 O leao da estrela, ja o antonio silva (a mais ou menos 32 minutos durante o filme) diz a palavra FIXE, o que me impressionou bastante… diz ate com muita conviccao, como em ingles dizia-se “swell”

      agradecia tambem uma resposta compreensiva, obrigado

      • 33 maria 10 Abril 2014 às 10:46 pm

        Ola Nuno dos Santos,
        A origem da palavra fixe esta ligada aos turistas ingleses que visitam o Algarve e se deliciam com a nossa fantastica grastonomia à base de peixe (fish). Espantados com a qualidade do nosso peixe era frequente ver turistas de polegar levantado a repetir com extremo agrado e satisfacao a palavra “Fish” como quem diz “es peixe é mesmo bom”.
        Daí, os locais começaram a usar o termo “fixe” para se referirem a algo “bom”, “porreiro”, algo que é “cool”.

        Um abraço!
        Maria

  27. 34 Diego 26 Outubro 2008 às 2:49 pm

    Gostaria de saber um livro sobre curiosidades etimológicas como por exemplo a origem da palavra morfina que deriva de Morpheus, deus do sono, ou carioca que jem da justaposição de duas palavras do tupi-guarani e significa casa de branco.

  28. 35 carlos ambrosio 28 Outubro 2008 às 4:48 am

    gostava de saber, se possivel, de onde e como surgiu a palavra “BÓFIA”. OBRIGADO e se possivel enviavam pra o meu mail.

  29. 36 Gislayne 28 Outubro 2008 às 9:16 pm

    boa noite,
    eu gostaria de saber a história,origem,do sobrenome TARGINO.
    já faz algum tempo que venho procurando mas não consigi encontrar nada..
    espero que voçê possa me ajudar.
    desde já ficam meus agradecimentos.
    muito grata,
    GISLAYNE DE SOUZA TARGINO

  30. 37 Maria Isabel 31 Outubro 2008 às 1:16 am

    Eu gostaria de saber,se possivel, a origem,a história e o signifcado da palavra:Coração.

  31. 38 Nadija 14 Novembro 2008 às 9:53 pm

    MEU NOME É NADIJA MEU SOBRE NOME AFIRMA UM AMIGO É DE DESCENDENTES DE JUDEUS MARRANOS:RIBEIRO ANDRADE.EU PODERIA SER DE DESCENDENCIA JUDAICA
    OU NÃO MAS GOSTARIA DE SABER O SIGNIFICADO SE PODEREM ME AJUDAR DESDE JÁ AGRADEÇO.

  32. 39 Silvia 8 Março 2009 às 4:25 pm

    Sr. Steinhardts,
    Parabéns pelo seu blog! Aqui no Brasil é muito difícil encontrar um bom dicionário de etimologia e, como se trata de um assunto que me interessa muitíssimo, coleciono palavras para uma espécie de dicionário particular. E fico fascinada a cada descoberta. Eu me especializei em Mitologia Grega e Filosofia Antiga e nas minhas aulas e palestras sempre recorro à origem das palavras para uma compreensão mais profunda no contexto. Hoje já não consigo explicar algo sem a ajuda da etimologia.
    Gostaria de continuar recebendo suas mensagens.
    Mazal Tov
    Um abraço, Sylvia

  33. 40 isabelly 8 Fevereiro 2010 às 9:01 pm

    OIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII

  34. 41 marco aurelio 1 Março 2010 às 2:17 am

    Gostaria de saber se é verdade q. a palavra q. cantamos no “Parabéns pra voce”…o tal do RA TIM BUM, siginifica: “Eu amaldiçoo voce” e qual seria a sua origem…???..Recebi um e-mail dizendo q. essa palavra era usada na antiguidade pelos feiticeiros, pelos bruxos para amaldiçoar as pessoas…Será q. isso é verdade..??
    Obrigado

    • 42 Mauricio Maneiro 16 Novembro 2011 às 5:13 pm

      A origem dos bordões “é hora!, é hora!” e “é pique!, é pique!” é explicada na Revista Fapesp de número 102 de março de 2004, páginas 57 e 58.

      O bordão “é pique, é pique, é hora, é hora, é hora, rá-tim-bum”, incorporado no Brasil ao Parabéns a você, é uma colagem de bordões dos pândegos estudantes das Arcadas da década de 1930. “É pique, é pique” era uma saudação ao estudante Ubirajara Martins, conhecido como pic-pic porque vivia com uma tesourinha aparando a barba e o bigode pontiagudo.

      “É hora, é hora” era um grito de guerra de botequim. Nos bares, os estudantes eram obrigados a aguardar meia hora por uma nova rodada de cerveja – era o tempo necessário para a bebida refrigerar em barras de gelo. Quando dava o tempo, eles gritavam: “É meia hora, é hora, é hora, é hora, é hora!”

      “Rá-tim-bun”, por incrível que pareça, refere-se a um rajá indiano chamado Timbum, ou coisa parecida, que visitou a faculdade – e cativou os estudantes com a sonoridade de seu nome. O amontoado de bordões ecoava nas mesas do restaurante Ponto Chic, com um formato um pouco diferente do que se conhece hoje: “Pic-pic, pic-pic; meia hora, é hora, é hora, é hora; rá, já, tim, bum’.

      Como isso foi parar no Parabéns a você? “Os estudantes costumavam ser convidados a animar e prestigiar festas de aniversário. E desfiavam seus hinos”, conta o atual diretor da faculdade, Eduardo Marchi…

      Fonte: http://www.quatrocantos.com/lendas/415_ra_tim_bum_ratimbum.htm

      (16/11/2011)

  35. 43 Larrídja 5 Maio 2010 às 2:50 pm

    Gostaria muito de saber a origem da palavra Dynamus!! é muito importante para mim!! desde já agradeço sua atenção.

  36. 44 Carla 14 Junho 2010 às 10:14 pm

    Gostaria de saber a origem do sobrenome TARGINO.

    Obrigada,

    Carla Targino

  37. 45 larissa 16 Setembro 2010 às 4:16 pm

    eu gosataria de saber a origem dos algarimos induarabicos

  38. 46 maiara 1 Novembro 2010 às 6:37 pm

    email e uma pala vra de fisio de ver kkk quem ve essa resposta e otari

  39. 47 maiara 1 Novembro 2010 às 6:38 pm

    éu tambem quero saber uq e email

  40. 48 pati 3 Março 2011 às 12:56 am

    Oi me ajudem com duas palavrinhas que eu nem sei d onde são e se existem realmente. São elas: APOULIES MONGUEI.

  41. 49 Anita 29 Abril 2011 às 4:16 am

    como falamos a palavra vender no brasil

  42. 51 Sinara Oliveira 16 Agosto 2011 às 6:58 pm

    Olá pesquisava o nome de minha filha “Isabelle Nádia” quando me deparei com este blog que me conquistou na hora, para mim mais uma fonte de pesquisa e de aprendizado. Parabéns, virei sempre aqui.

  43. 52 belezinha 1 Março 2012 às 6:12 pm

    esse site nao me trosse nenhuma informaçao apenas gente falando,falando e falandooooooooooooooooo……………….

    • 53 Inácio Steinhardt 1 Março 2012 às 7:43 pm

      Ou talvez escrevendo… Obrigado pela sinceridade do comentrio. Em meus 78 anos sempre aprendi com toda a gente, que fala e que escreve. Os visitantes deste stio muito contriburam para a minha aprendizagem e eu estou muito grato a todos, incluindo daiane absoluta. PS Daiane ser brasileirismo de Diana? Curioso?


Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s





Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 484 outros seguidores

%d bloggers like this: