Assassino

Parece que já chegámos ao ponto das entradas “a pedido”, um facto que é bastante agradável.    Poderá, porém, acontecer eu não saber.    Mas juntos havemos de encontrar sempre uma solução.

E não esquecemos que, na história das palavras, como nas histórias dos homens e das nações, há muitas vezes lendas que nascem, nem sempre com origem certa, e se transmitem como se fossem verdades inegáveis.  No caso presente, é o leitor Manuel Jose Sampaio Silva que me pede para pôr os pontos nos iis sobre a origem da palavra assassino e seus derivados.

Para mim esta é fácil, porque foi uma das primeiras etimologias que aprendi, muito antes, se me não engano, de me interessar por estas histórias.

Diz o Manuel José que leu algures que “assassino” vem do nome de Hassan Sabah. Acho que está quase certo.

Deve ter relação com a seita de guerrilheiros formada por Hassan Sabah, mas a etimologia de “assassino” vem de “hashish”, uma palavra árabe, que significa erva, e que é usada para designar o “cannabis”.

No tempo dos Cruzados, os fanáticos muçulmanos ismaelitas, que se formaram em quadrilhas, para assassinar os cristãos e outros inimigos da sua fé, costumavam fumar o “hashish”, e sob a influência da droga cometiam os seus ataques.

Um consumidor de “hashish” era um “hashishi”, e, no plural, “hashishin”, nome porque eram conhecidos os membros dessas quadrilhas.

O tomar-se uma palavra no plural para dar origem a um termo no singular noutra língua, não é raro, sobretudo quando a desinência do plural é muito diferente nas duas línguas.

Vê-se, por exemplo, designar um judeu sefardi ou sefardita, por “sefardim” e até “sefardin”.

Diz-se e escreve-se “fulano era sefardin”, quando em hebraico esta é a forma do plural e se deva dizer “fulano é sefardi”, ou “eles são sefardim”.

Portanto, muito simplesmente, os que tomavam “hashish” eram “assassinos”, e assim derivou para várias línguas   Onde entra aqui o Hassan Sabah? Hassan i-Sabbah (1034.1124), a quem Marco Pólo chamou o “Velho das Montanhas”, foi um missionário nizari, seita ismaelita iraniana, que converteu uma aldeia inteira, chamada Alamut, nas montanhas Alborz, no norte do Irão. Foi ele o fundador de um desses grupos a cujos membros chamavam, de forma derrogatória, os “Hashshin”.  Daí que o nome de Hassan Sabah esteja ligado na história aos “assassinos”.

7 Responses to “Assassino”


  1. 1 Manuel Sampaio 10 Novembro 2006 às 7:43 pm

    Obrigado pela explicação. Já agora aproveito, se me permite, para publicitar o livro onde li a referência Hassan Sabah. E faça-o por achar que se trata de um livro essencial para se entender o actual conflito civilizacional Islão/Ocidente. A não perder: O Ocidente e o Resto – Roger Scruton.
    Um abraço

  2. 2 Konrad 10 Novembro 2006 às 11:13 pm

    Prezado Inácio,

    o Cannabis seco chama-se em alemão Marihuana, mas prensado chama-se Haschisch !

    A minha lista de “pedidos” já esta a ser escrito, vai ser uma lista ernorme….
    :)
    Konrad

  3. 3 al cardoso 11 Novembro 2006 às 8:48 am

    E incrivel como ate hoje presistem os “assassinos” por parte de muitas seitas ismaelitas!!!

    Um abraco e bom fim de semana.

  4. 4 Luis Esteban 10 Fevereiro 2009 às 4:06 pm

    É bom lembrar que o paraiso prometido aos homens bomba atualmente também era prometido aos assassinos, mas eles nao lutavam sob o efeito da droga, eles lutavam pois qdo sob o efeito da mesma era lhe dado acesso ao harem, o que era maravilhoso, assim se eles quisessem esse paraiso que sob os efeitos da droga se apresentava maravilhoso, teriam que lutar e meorrer para conquistá-lo, até hoje esperam rios de mel e não sei qtas virgens.
    Por outro lado os cristãos cruzados qdo marchavam com a cruz à frente, ela não simbolizava o cristo (não esqueçamos que a cruz era um T -egipcio- ou um X romano) e sim a espada. Eram assassinos a serviço de outro deus.
    Os Romanos marchavam com os látigos à frente para mostrar o que esperava aos enemigos caso perdessem ou decidirem lutar.
    A historia das religioes é de alguma maneira a historia dos assassinos, da castração e da falta de inteligencia e sensibilidade humana, é só olhar em volta.

  5. 5 Renato 1 Agosto 2009 às 6:00 pm

    Muito interessante, palavras que movem o mundo…

  6. 6 Edmundo Cassis 16 Junho 2011 às 3:22 pm

    Não me parece correta esta resposta. Há uma outra explicação para a origem dessa palavra e esta é descrita por Amin Maalouf, no seu livro Samarcanda:

    “A verdade é outra. De acordo com os textos que nos chegam de Alamut, Hassan Sabbah gostava de chamar os seus adeptos de assassiyun, os que são fiéis ao Assass, ao «fundamento» da fé, e esta palavra, mal compreendida pelos viandantes estrangeiros, é que pareceu ter um ressaibo de haxixe” (…) Marco Polo popularizou essa ideia no ocidente. Deu-se crédito à tese de que eles actuavam sob o efeito do haxixe e os seus inimigos no mundo muçulmano chamavam-lhes por vezes haschichiyun , «fumadores de haxixe», para os desconsiderar. Alguns orientalistas julgaram ver neste termo a origem da palavra «assassino», que se tornou, em várias línguas europeias, sinónimo de homicida.”

    Aos que se interessarem por outra visão dos Cruzados no oriente sugiro a leitura desse mesmo autor, As cruzadas vista pelos árabes.
    Tenham todos um excelente dia.

  7. 7 Rapidly Plans Of cookware During the United kingdom 10 Maio 2013 às 1:34 am

    Hi everyone, it’s my first visit at this website, and piece of writing is actually fruitful in support of me, keep up posting such posts.


Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s





Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 484 outros seguidores

%d bloggers like this: